Início RJ Rachaduras em pedra deixam moradores de Laranjeiras com medo de deslizamentos

Rachaduras em pedra deixam moradores de Laranjeiras com medo de deslizamentos

Uma creche que fica atrás da pedra chegou a ser interditada por 15 dias após pedras deslizarem para dentro do local. GeoRio informou ter feito vistorias no lugar e disse ter constatado que a área não oferece riscos.

34
0
Stone texture with cracks

Moradores de Laranjeiras, na Zona Sul do Rio, estão com medo de deslizamentos por conta de várias rachaduras em uma pedra que fica atrás de um prédio e também de uma creche, que já foi interditada.

As diversas rachaduras aparecem em uma grande pedra e também em uma obra que os moradores fizeram para evitar que a terra deslizasse e atingisse o prédio da rua Prof. Luis Cantanhede.

“Há quatro anos vim morar aqui porque vi essa pedreira linda. E hoje ela é o meu maior medo”, comentou a chefe de cozinha Guetta Ridzi.

Uma contenção chegou a ser feita, bem atrás do prédio, mas os moradores ainda têm receio que um possível deslizamento afete a estrutura do edifício.

“A prefeitura veio aqui há alguns anos e disse que faria uma nova vistoria na contenção, mas não voltaram e as rachaduras estão cada vez piores”, revelou Diogo Andrade, produtor de eventos.

Em abril deste ano, algumas pedras deslizaram e foram parar no pátio da creche que fica próximo ao local. A creche ficou fechada por 15 dias. Funcionários contaram que alguns pais continuam sem levar os filhos para a creche com medo de novos deslizamentos de pedras.

Segundo moradores, funcionários da Comlurb estiveram recentemente no local para podar árvores e agentes da GeoRio apontaram que a contenção precisa de reforço.

“Todo dia que chove a gente morre de medo”, acrescentou Diogo.

A Defesa Civil disse que interditou a creche por risco de queda de árvore e encaminhou o caso pra GeoRio, que informou ter feito vistorias no lugar. Para a GeoRio, a área não oferece riscos e recomendou somente a retirada da árvore.

Já a Comlurb disse que esteve lá, retirou a árvore, e que o tronco deixado na área não causa perigo. Sobre as outras árvores, a companhia disse que fez uma nova vistoria nesta terça-feira (11), e que as árvores serão podadas, mas que não oferecem risco.