Início Mundo Por telefone, Vladimir Putin conversa com presidente da Ucrânia sobre fim de...

Por telefone, Vladimir Putin conversa com presidente da Ucrânia sobre fim de conflito entre os países

Governo da Rússia disse que iniciativa partiu do próprio presidente ucraniano, que assumiu como prioridade o fim do conflito no leste da Ucrânia.

21
0

O presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelenskiy, conversaram por telefone pela primeira vez desde que o ucraniano assumiu o mandato. No telefonema desta quinta-feira (11), os dois falaram sobre o conflito territorial entre os dois países que se arrasta desde 2014.

Ambos os governos confirmaram que os dois presidentes debateram uma forma de resolver a crise militar, inclusive com a devolução de prisioneiros. De acordo com o Kremlin, o telefonema partiu de uma iniciativa do lado ucraniano.

Os dois também debateram a possibilidade de manter contato a respeito do assunto usando o formato “Normandia”, que envolve a participação da França e da Alemanha, informou o comunicado do governo russo.

Em comunicado separado, a Presidência da Ucrânia disse que o principal assunto da conversa foi a libertação de marinheiros ucranianos detidos pela Rússia.

Novo presidente da Ucrânia

Volodymyr Zelenskiy após votar nas eleições presidenciais da Ucrânia — Foto: REUTERS/Valentyn Ogirenko

Volodymyr Zelenskiy após votar nas eleições presidenciais da Ucrânia.

Zelenskiy, um ex-comediante sem experiência política anterior, venceu a eleição presidencial da Ucrânia em abril e declarou que o fim do conflito entre separatistas pró-Rússia e as forças de Kiev é uma de suas prioridades.

No domingo, Zelenskiy disse que planeja continuar as conversas com a Rússia apoiadas pelos europeus a respeito de um acordo de paz, em grande parte jamais implantado, e que tentará libertar os compatriotas presos na Rússia – estes incluem 24 marinheiros.

O conflito no leste da Ucrânia irrompeu em 2014, pouco depois de a Rússia anexar a península ucraniana da Crimeia, e já matou mais de 10 mil pessoas.