Início MG Caminhonete utilizada por grupo em ataque a banco em Uberaba é apreendida...

Caminhonete utilizada por grupo em ataque a banco em Uberaba é apreendida após se envolver em acidente

Condutor do veículo, que é proprietário de um pátio conveniado ao Detran-MG, foi preso em flagrante por vários crimes.

243
0

Uma das caminhonetes utilizadas pelo grupo que atacou o Banco do Brasil no dia 27 de junho, em Uberaba, foi apreendida após se envolver em um acidente no Bairro São Benedito na segunda-feira (9).

O homem que conduzia o veículo, de 41 anos, é proprietário de um pátio conveniado ao Departamento de Trânsito de Minas Gerais (Detran-MG). Ele foi preso em flagrante por suspeita de adulteração e clonagem de veículos, falsidade ideológica, falsificação de documento e peculato. O caso é investigado pela Polícia Civil.

Conforme o registro da Polícia Militar (PM), uma jovem de 23 anos foi até a Área de Integrada de Segurança Pública (Aisp) Centro e contou que foi uma das envolvidas em um acidente na Avenida Edilson Lamartine Mendes. Segundo ela, uma caminhonete S10 bateu contra uma fila de carros parados, causando um engavetamento de quatro veículos.

Ainda segundo a jovem, o motorista da S10 se prontificou em reparar os danos causados nos veículos, inclusive, providenciado serviço de guincho para o carro dela que ficou muito danificado, sem condições de rodar.

Por meio de uma foto da caminhonete registrada pela jovem, os militares constataram que os dados do veículo eram incompatíveis com os que constavam no sistema.

Então, os policiais fizeram diligências e encontraram o condutor da caminhonete, que foi identificado como sendo o proprietário de um pátio credenciado do Detran.

Ao chegar à Aisp, ele dirigia outro veículo. Ao ser questionado sobre onde estava a caminhonete, ele alegou que tinha levado o automóvel para o pátio dele, pois estava sem condições de rodar.

Entretanto, a jovem contou que o homem tinha saído do local do acidente conduzindo a caminhonete normalmente – o que aumentou as suspeitas da PM quanto à situação do veículo.

Junto com o homem, os policiais foram até o pátio dele, onde a caminhonete foi encontrada estacionada. Após vistorias, com utilização de equipamento de leitura da central eletrônica do veículo, foi confirmado que a S10 é produto de furto/roubo e que ela foi apreendida no dia 27 de junho, por ter sido um dos veículos usados no roubo ao Banco do Brasil na mesma data.

Também foi confirmado que os sinais identificadores da caminhonete, como chassi e placa, tinham sido adulterados. O veículo foi apreendido e removido para outro pátio credenciado ao Detran.

Segundo a assessoria de imprensa da Polícia Civil de Minas Gerais (PCMG), a prisão em flagrante do homem foi ratificada e ele já foi encaminhado à Penitenciária Professor Aluízio Ignácio de Oliveira.

Em relação ao acidente, não houve feridos.

Documentos falsificados

Durante buscas, foram encontrados na carteira do homem um certificado falso de veículo; uma carteira com o brasão da Polícia Civil de MG; uma carteira de identificação funcional da polícia preenchida com informações inexistentes na base de dados; um Certificado de Registro de Arma de Fogo (Craf) em nome de um investigador da PCMG lotado em Uberaba; e também um crachá de visitante da 5ª Região Integrada de Segurança Pública (5ª Risp).

De acordo com a PM, o homem não quis se explicar sobre a posse dos documentos. A PM ainda informou que, referente ao Craf, o próprio investigador da Polícia Civil afirmou que o certificado era de uma arma dele, porém, ele saiu do local e, portanto, não deu mais informações sobre o ocorrido.

Ainda conforme a ocorrência, foi informado que o investigador envolvido na ocorrência iria se apresentar na 5ª Risp para prestar esclarecimentos.