Home / MG / Brumadinho: com buscas suspensas, parentes de vítimas guardam esperança para depois da pandemia de coronavírus

Brumadinho: com buscas suspensas, parentes de vítimas guardam esperança para depois da pandemia de coronavírus

A tragédia da Vale, que deixou 270 vítimas entre mortos e desaparecidos, completa 14 meses nesta quarta-feira (25) com homenagem transmitida pela internet por causa do coronavírus. Desde a semana passada, também devido à pandemia, o Corpo de Bombeiros suspendeu as buscas em Brumadinho (MG), na maior operação de resgate já realizada no país. Apesar do prologamento da dor, famílias de vítimas que ainda não foram localizadas mantêm a esperança.

“Agora tem uma pandemia e a gente não pode colocar ninguém em risco. E a gente entende a situação, precisamos todos nos cuidarmos, mas a gente tem esperança, aquela luz lá no fim do túnel que, quando tudo isso passar, as joias que estão lá debaixo da lama terão a chance novamente de serem encontradas”, diz a professora Natália de Oliveira.

Natália de Oliveira é irmã de Lecilda de Oliveira, uma das 11 desaparecidas na tragédia da Vale — Foto: Raquel Freitas/G1

Natália de Oliveira é irmã de Lecilda de Oliveira, uma das 11 desaparecidas na tragédia da Vale.

Integrante da Associação dos Familiares de Vitimas e Atingidos do rompimento da Barragem Mina Côrrego Feijão (Avabrum), ela perdeu a irmã Lecilda de Oliveira. A funcionária da Vale é uma das 11 vítimas desaparecidas.

A vice-presidente da associação, Josiana Resende, ainda aguarda a localização da irmã Juliana Resende, que deixou dois filhos gêmeos. “Não foi fácil receber essa notícia [da suspensão das buscas]. (…) Mas a gente também entende o que está acontecendo. E a nossa atitude foi realmente aceitar, mas procurar garantias com que as buscas retornassem”, disse.

Homenagem pela internet

A cada mês, em todo dia 25, famílias das vítimas se reúnem no letreiro de Brumadinho para lembrar as 270 pessoas que perderam a vida no desastre. Desta vez, diversas adaptações tiveram de ser feitas para que a homenagem fosse mantida.

“Decidiu-se pela diretoria da associação ir até o local e fazer o ato, que será transmitido ao vivo para as pessoas, para os familiares acompanharem de casa. A gente não quer colocar ninguém em risco”, disse.

Segundo Josiana, as pessoas que participam do ato in loco também foram orientadas a tomar todos os cuidados para evitar o coronavírus.

Mesmo com as mudanças que o momento exige, o tradicional minuto de silêncio foi mantido.

Josiana Resende, perdeu a irmã Juliana Resende e o cunhado Dennis Silva no desastre — Foto: Raquel Freitas/G1

Josiana Resende, perdeu a irmã Juliana Resende e o cunhado Dennis Silva no desastre.

Veja Também

Idoso morre em acidente de carro na LGM-798 em Uberaba

Um idoso, de 64 anos, morreu em um acidente na noite desta quinta-feira (4) no …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *