Home / ES / Guarda municipal mata esposa grávida no ES e alega tiro acidental

Guarda municipal mata esposa grávida no ES e alega tiro acidental

Uma mulher grávida de cinco meses morreu após ser atingida por um tiro da arma do próprio marido, que trabalha como agente da Guarda Municipal de Vitória.

O caso aconteceu na noite desta quinta-feira (2), dentro do apartamento do casal, na Praia de Itaparica, em Vila Velha.

De acordo com a Polícia Militar, antes de acertar a barriga de Carolina Ferraz Scalfoni, o mesmo tiro atingiu a mão do guarda Luiz Roberto Ramalheite. Por isso, ele também ficou ferido.

Um amigo de Luiz Eduardo, que preferiu não se identificar, contou que a arma do agente disparou acidentalmente.

“O que foi passado para mim é que ele estava no quarto fazendo a limpeza da arma e aí ela passou para informar que ia para a academia e a arma teve um disparo acidental, que pegou no tórax dela, no peito”, contou o amigo.

Luiz Eduardo e a esposa foram socorridos, no entanto, o estado de saúde de Carolina era muito grave.

Ela deu entrada no Hospital Antônio Bezerra de Faria, também em Vila Velha, e chegou a ser reanimada após sofrer uma parada cardíaca. A gestante deu entrada no centro cirúrgico, mas não resistiu ao ferimento.

O bebê que Carolina esperava seria o primeiro filho do casal. Ela e Luiz Eduardo estavam juntos há cerca de 10 anos.

Após receber atendimento médico, o guarda municipal foi levado para a Divisão de Homicídios e de Proteção à Pessoa (DHPP), em Vitória, onde prestou depoimento e foi liberado.

Segundo a Polícia Civil, o agente responderá por homicídio culposo, ou seja, quando não há intenção de matar.

A Corregedoria da Guarda Municipal de Vitória vai abrir uma investigação sobre o caso.

Veja Também

Criminosos matam economista a tesouradas dentro de apartamento em Vila Velha, ES

Dois homens, um de 18 e outro de 21 anos, foram presos depois de matarem a …